outra fantasia 2

outra fantasia 2
Bom pessoal, estou aqui pra contar a segunda foda que tive naquela mad**gada, mas dessa vez apenas com lena. Quem não leu meu outro conto, sugiro que leia pra ter uma descrição melhor dos envolvidos. Vamos logo ao que interessa:
Fique atônito, muito surpreso. Sim, sei que lara havia me surpreendido com o sexo, mas dormir conosco? Admito que tive um pouco de dúvida, mas não durou nem 5 segundos e respondi que sim. Ficamos mais uns 20 minutos na festa e fomos para a casa dormir, eu, lara e lena. Mesmo eu e lena estando muitíssimos cansados, foi lara quem dormiu primeiro. E aproveitamos para ficarmos um pouco juntos e curtir um momento “só nosso”, eu e lena.
Quando lara foi dormir, eu e lena ficamos deitados no sofá e ela deitou no meu colo enquanto assistíamos a um filme um tanto quanto sugestivo para o momento: ? tons de cinza”. Demos sorte e pegamos o filme no início ainda e com isso, aproveitei pra fazer um carinho no cabelo de lena, passar de leve meus dedos sobre o corpo dela (ela estava apenas de calcinha) e isso fez ela se arrepiar. Aproveitei uma deixa do filme, puxei o rosto dela pra mim e dei um beijo apaixonado nela, aproveitando pra passar um pouco mais a mão nela, descendo dos peitos, passando calmamente pela barriga com as pontas dos dedos pra fazer com que ela se arrepiasse ainda mais, o que aconteceu e arrancou um suspiro durante nosso beijo. Continuei descendo e fui acariciando suas pernas até que cheguei à parte interna de suas coxas. Instintivamente, lena abriu as pernas para que eu pudesse explorar a região de sua bucetinha, mas eu não queria o sexo ainda. Queria aproveitar mais aquela mulher, aproveitar que estávamos sozinho pra poder ter uma conexão mais profunda com ela. Com isso, fiquei acariciando sua buceta por cima de sua calcinha, que já estava encharcada. Foi aí que lena começou a gemer mais enquanto continuávamos no beijo e eu decidi subir minha mão novamente, pra deixar um gostinho de quero mais. Fui subindo devagar, fazendo o mesmo caminho quando desci e da mesma forma: na ponta dos dedos. lena deu um suspiro misturado com gemido que me deixou louco e ficou enlouquecida no beijo. Sua língua procurou cada canto da minha, cada centímetro foi explorado naquele beijo que teimava em não acabar. Por mais que eu quisesse simplesmente meter nela ali, consegui me concentrar e paramos de nos beijar. lena me olhou com uma cara num misto de brava, apaixonada, quero mais e aliviada por ter parado também. Acho que lena tinha a mesma ideia que eu de criar uma tensão ainda maior pra aproveitar enquanto estávamos sozinhos e com isso, voltamos a assistir o filme.
Ficamos conversando acerca do que acontecia no filme e isso foi deixando nós dois excitados. Fomos falando também sobre as experiências que já tivemos no passado, experiências que ainda queríamos ter… Dei um tempo, fui até à geladeira, trouxe uma cerveja pra cada um e voltamos a ver o filme, compenetrados, ela no meu colo. Meu pau começa a ganhar vida quando uma das cenas do filme esquenta e meu pensamento voa no sexo que tivemos mais cedo. lena percebe que meu pau cresceu, levanta e começa a me beijar, passando a mão em meu pau por cima da cueca. Deixo ela fazer o que quiser e quando ela vai em meu ouvido dizendo que amou trepar comigo mais cedo e que quer mais, eu fico louco. Jogo-a no sofá e parto pra cima, beijando-a com um ímpeto e tesão enormes. Lembro que quero fazer algo mais tranquilo e diminuo o ritmo, mas ainda sim passo minha mão por todo o seu corpo, querendo aproveitar cada segundo e conhecer cada detalhe daquela mulher maravilhosa. Vou descendo por seu pescoço, fico um bom tempo revezando entre aquela área e sua orelha, pois cada vez que dava uma mordiscada na pontinha da mesma, lena gemia tão deliciosamente em meu ouvido que quase me fazia gozar. Depois de judiar um pouco dela, fui descendo e parei em seus peitos. Não eram enormes, mas sim do tamanho ideal. Enquanto lena se inclinava pra trás, aproveitei pra levar meu dedo até sua boca para que ela mesma deixasse babado e mais uma vez, fui gratificado com um gemido de fazer enlouquecer quando coloquei meu dedo melado por ela mesma em sua buceta, enquanto lambia, chupava e mordiscava seus seios. Quando percebi que lena gozou nessa brincadeira, me abaixei e fui puxando sua calcinha com calma, aproveitando e beijando cada centímetro da parte interna de sua coxa enquanto continuava tirando seu fio dental. lena estava absorta em prazer e isso me deixou completamente maravilhado com a situação e com a visão que tinha: lena totalmente entregue a mim, com as pernas abertas, sua buceta babando e ela com uma cara de total satisfação (esqueci de comentar, mas tenho muito prazer em ver as mulheres com quem me relaciono ter prazer também, é indescritível essa sensação). Depois de tirar completamente sua calcinha, me ajoelhei no chão, apoiei suas pernas em meus ombros e admirei um pouco aquela obra divina a minha frente antes de cair de boca e me deliciar com aquele melzinho delicioso que estava saindo da buceta de lena, assim como ao ouvir seus gemidos. Não demorou muito para que lena puxasse meu cabelo com força, apertando minha boca contra sua parte íntima e estremecesse todo seu corpo, indicando que mais uma vez havia chegado ao clímax. Sentei ao seu lado no sofá e quando lena se recuperou, me olhou nos olhos e disse:
– Vou te agradecer de uma forma que você não vai esquecer! – e foi logo abocanhando meu pau, enquanto arrastava suas unhas em minhas coxas.
“Filha da puta”, pensei. Eu estava fodido: lena acabou descobrindo, sem querer, uma de minhas maiores fraquezas: unhas. E na coxa ainda, fui ao delírio. Pedi pra que ela parasse pois sabia que não iria demorar muito para gozar, mas lena pouco se importou. Aliás, pelo contrário: se importou tanto que aumentou as “unhadas”, chegando a cravá-las. Quando fez isso, não me contive e gozei em sua boca. Puta que pariu, foi um dos melhores boquetes que eu já havia recebido em toda minha vida. Puxei lena a meu encontro e a beijei, mais uma vez um beijo apaixonado. Nunca me importei em beijar a mulher após ter gozado na boca dela e não seria agora que iria me importar, logo depois de um boquete sensacional como esse. lena aproveitou o beijo para subir em mim e sem pestanejar, encaixou meu pau na entrada de sua buceta, mas não desceu. Parou de me beijar, olhou nos meus olhos e começou a descer em meu pau, rebolando. Senhores, senhoras, como queria poder fazer com que sentissem o que senti na hora. Senti que havia atingido o nirvana assim que lena havia colocado todo o meu pau pra dentro de si. Fiquei alguns segundos estático, parecendo que não estava mais ali, apenas meu corpo estava presente. Quando voltei a mim, lena começou a cavalgar calmamente, subindo e descendo lentamente para aproveitarmos cada segundo. Aproveitei que lena estava de frente pra mim e comecei a chupar seus seios enquanto ela cavalgava. Depois de um tempo nessa posição, me inclinei um pouco mais no sofá e sua bunda ficou mais exposta. Apesar do medo de sua reação, resolvi arriscar: com uma das mãos abri mais sua bunda e com a outra, encostei em seu cuzinho. Na hora que encostei, lena estremeceu toda, sentou com força em meu pau e aproveitando que estava todo dentro de si, voltou a rebolar. Enquanto isso, eu continuei massageando seu anelzinho. lena mordeu minha orelha e disse, com uma voz trêmula:
– Não para, eu vou gozar!
Respondi:
– Não vou parar, vou é gozar com você.
Continuamos por mais alguns segundos e gozamos juntos. lena estremeceu seu corpo e soltou todo seu peso em cima de mim. Segurei-a e a abracei. Ficamos um tempo assim, até que deitei lena no sofá, juntamente comigo. E ali ficamos, abraçados, até ela adormecer em meus braços. O filme havia acabado e nem lembro o que estava passando na televisão, mas decidi ficar ali pois não queria acordá-la.
Depois de uma meia hora, mais ou menos, lena acordou e me olhou, sorrindo, agradecida. Me deu um selinho e saiu, indo ao banheiro. Quando voltou, tomou água, chegou perto de mim e disse:
– Estou indo dormir com lara. Não demore pra vir também, ok?!
Me deu mais um beijo e saiu em direção ao quarto onde lara estava. Fiquei sentado no sofá por uns 10 minutos, relembrando tudo que acontecera, tanto com lara, quanto com lena. Escovei os dentes, tomei uma água e fui dormir. Chegando no quarto, as duas estavam abraçadas de conchinha. Como a luz do corredor ainda estava acesa, acabei acordando lena, que se desencostou de lara, abrindo espaço para mim entre as duas. Deitei, abracei lara e lena me abraçou. Não demorou para que eu pegasse no sono, afinal, estava super cansado, mas totalmente satisfeito e de ótimo humor! No dia seguinte… (fica pra um próximo conto! 😉 )

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir