Como descobri uma BUCETA

Bisexual

Como descobri uma BUCETA
Neste relato, vou contar como fui apresentado a uma mulher de verdade. No meu relato anterior, contei como fui apresentado ao sexo, mais neste vou contar quando conheci uma mulher de verdade.
Tudo começou naquela mesma época, assim que as aulas retornaram, meus encontros com essa vizinha ficaram mais escassos devidos aos horários da escola, em uma segunda-feira, a levei em minha casa, logo que cheguei da escola, e como minha mãe trabalhava, ficava só eu em casa, até a chegada de minha mãe e de meu irmão no fim do dia. Sentei no sofá da sala com ela e comecei a acaricia-la, e ela a mim, ouvimos um barulho e como tinha-mos certeza que era só o meu cachorro, não demos importância, mais de-repente fomos surpreendidos pela Maria, que era a moça que minha mãe contratava pra trabalhar em casa.
Ela era uma delicia, devia ter uns 18 ou 19 anos, era baixa, de pele clara, queimada do sol, com um lindo cabelo negro que vinha até a cintura, bem esbelta, com seios médios e um bumbum redondinho. Nunca a tinha visto como mulher até então, pois ela vinha só duas vezes na semana, e os dias que ela vinha eu ficava sempre na rua, pois ela não deixava eu fazer nada, além de ver televisão pra não bagunçar a casa.
Na hora que ela viu aquela cena, ela deu um grito só e mandou essa amiga minha pra casa, e disse que ia contar tudo pra minha mãe, que pouca vergonha era aquela. Tomei o maior susto, assim que minha amiga saiu, fechei a porta e pedi implorei pra não ser entregue, tava morrendo de medo, se ela falasse pra minha mãe aquilo ia chegar ao pai de minha amiga, e sei lá o que poderia ocorrer, depois de muito implorar, ela falou que não falaria nada, mais que eu teria que fazer o trabalho dela, e ajuda-la para que terminasse bem mais cedo. Ela terminava por volta das 19:00 e minha mãe chegava por volta das 19:30 então, se ela terminasse mais cedo poderia ir embora e como estaria tudo feito não iria dar problema.
Naquele dia, termina-mos tudo por volta das 18:00, tava muito bravo, mais aproveitei pra observar ela trabalhar e aprender a fazer as coisas, e reparei que ela era muito bonita, quando ela foi tomar banho pra se trocar e ir embora, fiquei doido pra ver, mais não tinha condição, fiquei do lado de fora, conversando com ela e observando pelo buraco da fechadura.
Quando ela tava saindo me disse, hoje não falo nada pra sua mãe, mais quinta feira, quero você cedo aqui pra me ajudar, senão…. Aquela ameaça surtiu efeito, com medo, na quinta-feira sai da escola nem conversei na porta, fui direto, lá chegando tava ela, com a mesma roupa de sempre esperando pra eu ajudar a fazer o serviço afim de terminar mais cedo. Como não tinha jeito, resolvi fazer amizade além de conversar sobre as coisas do serviço, comecei a fazer amizade, já que era pra trabalhar junto 2x na semana, que pelo menos fosse legal e a gente pudesse conversar, minha idéia deu certo, e conversa-mos sobre tudo, de repente, ela me perguntou o que eu tava fazendo com aquela menina, e respondi que tava conhecendo e que era gostoso quando ela me tocava e eu tocava nela.
Maria então me disse, ah, você pede pra ela ficar te punhetando né, e você toca siririca pra ela, não entendi, nem sabia o que era isso, ai ela falou se nós gozava-mos, falei pra ela não sei o que é isso, ela explicou, como funcionava o processo, como era transar, e falei pra ela, não, nunca aconteceu, ela não deixa eu colocar nem o dedo dentro pois diz que doi muito… essa conversa me deixou de pinto duro, e como tava sem cueca, Maria percebeu, mais não falou nada. Resolvi perguntar porque os seios dela tinham ficado pontudos, e ela disse, que era um dos sinais de tesão, e que no homem o pinto fica duro, na mulher a xoxota ficava molhada e os bicos dos seios rijidos.
Falei pra ela, que minha amiga, parecia que ficava suada, mais não molhada, e nunca ficou com os seios duros, como era aquilo, ela então falou, vem aqui, encosta nos meus seios, olha como fica, fui, e falei pra ela porque aquilo aconteceu, ela disse, falando de tesão, e vi que você ficou de pintu duro, isso me deixou com tesão, perguntei, então sua xoxota tá molhada, ela disse que sim, perguntei se podia ver, ela relutou mais deixou, leventou a saia, e mostrou a calcinha, e falou, vai tira ela e vê. Fiz isso na hora, tava tremendo de tesão, e fiquei maravilhado, tinha pelos e tava realmente molhada, perguntei pra ela como era punheta e ela pegou no meu pinto e começou um movimento ritmado de vai e vem, depois de um tempo senti uma dor mais não gozei, só saia uma gotinha de um líquido transparente, ela disse que era normal, que ainda era novo, mais que mais uns dias eu ia começar a gozar. E então me mostrou como era tocar uma siririca, abriu os labios, me mostrou o que era o clitoris, onde era a entrada do pênis, por onde saia a urina, enfim me mostrou tudo da buceta dela, e ficou esfregando o clitóris e pediu pra mim ajuda-la, sentir como tava molhada.
Ficamos mais de 1 hora, nessa até que ela começou a gozar, tremendo as pernas a ponto de não conseguir ficar em pé, e ter que sentar, foi delicioso, falei pra ela que ia poder explicar pra minha amiga, ela disse que não e que se eu falasse pra alguém, ela poderia perder o emprego, e que aquilo era errado, mais que sempre que eu ficasse pra ajudar ela, ela iria deixar eu tocar nela.
Desde aquele dia, todos os dias que ela vinha em casa trabalhar, eu chegava cedo pra ajudar, ela passou a ficar no trabalho já sem calcinha, sempre era essa seção de masturbação eu masturbava ela e ela a mim. Mas só ficamos nisso, nunca ela deixou eu colocar meu penis nela, isso só foi ocorrer depois de mais de 1 ano, mais com outra passoa, e vai ser uma nova história.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir