1° engate na noite lisboeta

1° engate na noite lisboeta
Estamos em 1998, agora já com 21 anos, a dar o cu desde os 15 anos, primeiramente aos colegas da escola, (ver a história “INICIO”) depois ao meu primo (ver a história “Verão 1992”), até agora só tinha fodido com eles, só que o tempo foi passando e as foda já não eram tão frequentes, o meu primo arranjou namorada e só quando queria cu é que vinha ter comigo, o Francisco tb começou a namorar e a trabalhar, pouco tempo tinha para mim, eu também arranjei namorada, apesar de adorar caralho, também gosto de cona, hoje em dia vivo junto com uma mulher, mas isso é outro assunto, com estes acontecimentos juntos comecei a sentir falta de macho, estava habituado a levar na peida com frequência e já há algumas semanas que não via nada, senti a necessidade de me fazer à vida e procurar machos para mamar e me foderem.

Em conversa com colegas de trabalho soube de certos locais da noite lisboeta em que se podia com sorte fazer uns “engates”, tentei saber melhor e soube de uma conhecida discoteca no Bairro Alto em que podia ter sorte, enchi-me de coragem e lá fui, como ainda não tinha carro fui de táxi, à chegada entrei e comecei a ver o ambiente, muita bica, sou sincero, não gosto nada de bixas, se gostam de levar no cu não têm de andar a fazer publicidade, eu gosto e não ando a rebolar a peida e a guinxar como uma puta, como disse, muita bixas, pedi uma bebida e encostei-me a um canto a ver o ambiente, fui abordado por algumas dessas bixas, mas logo as pus de parte, fui metendo conversa com alguns homens bem parecidos que lá estavam sozinhos e o tempo foi passando, já a noite ia longa e reparei num homem muito interessante, cerca dos 40 anos, cabelo grisalho, mais ou menos 1.80m, forte mas nada gordo, estivemos uns 10 minutos a trocar olhares até que ele levantou o copo como se estivesse a fazer um brinde, eu sorri e retribui, ele veio ter comigo e apresentou-se como Costa, perguntou se costumava ir ali e outras coisas para desbloquear, não sabia ao certo se procurava o mesmo que eu ou o contrário, passado um tempo de estarmos na conversa ele diz que vai ao WC, é pá! Não é que de repente tb me deu a vontade! Eu disse que também ia com ele, lá dentro havia muitos mirones, o Costa foi para um urinol e eu fui logo para o do lado, tiramos ambos o caralho para fora e urinamos os dois, o Costa reparou que eu não tirava os olhos do belo caralho que ele tinha, afastou-se um pouco,virou-se para mim e perguntou se eu gostava do caralho dele, respondi que sim, gostava muito, ele sorriu, guardou o pau e ao passar por mim apalpou-me o cu de tal maneira que quase que enfiava as calças no meu cu, estava dado o sinal do que aí vinha…

Saímos do WC e fomos beber mais uma bebida, fomos conversando e ele diz-me que pensava outra coisa de mim, não sabia que eu procurava um macho e se queria ir para outro lado com ele, disse que sim mas que não tinha carro, ele tinha e fomos no dele.

Ele tinha um bom carro, era homem que vivia bem, saímos e ele perguntou para onde é que eu queria ir, não sabia, deixei-o à vontade, desde que não fosse no carro por mim estava óptimo, perguntou se queria ir para uma pensão, ele pagava, já muito nervoso aceitei, lá estava eu com um desconhecido a caminho de uma pensão qualquer para ser enrabado, durante o caminho foi-me fazendo perguntas sobre mim, viu que não estava muito à vontade, a meio da viagem pegou na minha mão e levou-a até ao enxumaço que tinha, eu senti a dureza toda daquele pau e massagem, assim foi até chegarmos a uma residencial ali para os lados de Camarate, (ainda hoje frequento esta residencial, limpa e barata) ele estancionou o carro, pediu para eu esperar e foi alugar um quarto, veio ter comigo e deu-me o número do quarto, não queria subir junto comigo para não sermos vistos, combinamos então que ele ia primeiro e passado 5 minutos ia eu, assim foi, passados 5 minutos subi e bati à porta do quarto indicado, ele disse que estava aberta para eu entrar, estava já deitado na cama, ainda vestido é disse

-Tranca a porta e vem para aqui. Tranquei e quando me viro já ele está a desapertar as calças, fui ter com ele, ajoelhei-me, ajudei a desapertar as calças, saco aquele belo caralho para fora e abocanho logo, hummm, que saudades que eu tinha de fazer um broxe, continuamos a tirar a roupa sem que eu deixasse de mamar, o meu macho começou a gemer.

-Hummm! Tu mamas bem putinha! Gostas de mamar no caralho? Gostas puta?

Eu apenas dizia que sim com a cabeça, ele continuava

-Mama cabrão, mama o caralho todo.

Entretanto ele colocou-me de maneira a que chegasse com os dedos ao meu cu é começou a enfiar o dedo no meu cu à dizer

-Gostas de levar no cu puta? Queres que eu te foda?

Eu acenava que sim e ele dizia

-Pede puta, pede para eu te ir ao cu! Tens de implorar para levares no cu!

-Vem-me ao cu amor! Implorava eu

-Anda! Enterra esse caralho todo no teu paneleiro

Então o Costa foi a uma bolsa, tirou um lubrificante e besuntou-me o olho do cu enfiando 2 e 3 dedos para ajudar a alargar (via-se que era experinte), depois tirou um preservativo e mandou-me colocar no caralho dele e ordenou que me pusesse de 4.

-Põe-te de 4 puta! Encosta a cabeça e empina o cu para eu te foder! Queres puta? Queres que te enterre na peida?

Eu respondo

-Sim amor, quero sentir essa verga toda dentro de mim, sou todo teu querido.

E então com as minhas mãos afasto as nádegas e ofereço o meu cu ao meu macho que sem pedir licença empurra aquele caralho delicioso no meu cu fazendo-me gemer de prazer, rapidamente senti aquele par de colhões a baterem-me na peida, sinal de que estava a levar com ele todo na peida, e ali estava eu a ser enrabado pela primeira vez por um desconhecido que engatei na noite, sentia-me uma autêntica prostituta, só faltava ele pagar a foda que me estava a dar.

Ele era bem experiente, sabia bem o que fazia, começou a foder-me com mais força, cada estocada que dava parecia que ia cada vez mais fundo, estava a levar uma tareia de caralho como nunca antes levei, gemia muito…

-Hummm! Que bom amor, não pares por favor, FODE COM FORÇA! ABUSA DE MIM! SOU TODO TEU….

-Gostas puta de mera? Gostas de dar o cu? Vou-te foder essa peida toda panasca

Nisto começou a dar-me palmadas nas nádegas, palmadas fortes que eu de inicio estranhei, mas que não sei porquê me deu uma tesão ainda maior e disse

-Isso amor, bate-me, dá-me palmadas no rabo, castiga-me com o teu caralho

Ele fodia-me cada vez com mais força, trocámos várias vezes de posição até que disse que estava quase a esporrar – se

-Vou-me vir paneleiro! Queres panasca? Queres leitinho no cu?

-Quero na boca amor! Quero que te venhas na minha boca, por favor…

Ele então tirou o caralho do meu cu é retirou o preservativo e diz

-Então mama paneleiro, chupa-me o caralho e retira o leite todo

E de joelhos comecei a mamar e em pouco tempo aquele caralho despejou o leitinho todo na minha boca, deliciei-me e enguli tudo, depois continuei a mamar até ter limpo o caralho todo dos restos da esporra que sobraram.

Deitamo-nos os dois cansados, tinha o cu a latejar da foda que levou, estivemos cerca de 15 minutos a descansar, ele levantou-se e foi tomar um duche, fui a seguir ter com ele e debaixo do chuveiro comecei a fazer-lhe outra vez um broxe, em pouco tempo estava duro outra vez, queria ter aquele caralho outra vez na peida, fui buscar o preservativo e o lubrificante e ofereci-lhe o cu outra vez no chuveiro, comeu-me de pé contra a parede, parece que cada vez fodia melhor, fomos para a cama outra vez e fodeu-me de todas as maneiras e feitios, tratou-me como se fosse uma puta vadia, humilhou me, fez o que quis de mim, e isso dava-me cada vez mais tesão, Foda-se, QUE FODA MARAVILHOSA .

Continuei a encontrar-me com o Costa durante uns 2 anos, voltei ao mesmo lugar várias vezes para o engate e conheci muita gente, grandes fodas que engatei lá, outras nem tanto, mas tenho mais duas histórias de lá que julgo serem boas, e se vocês quiserem posso partilhar.

Espero que tenham gostado deste meu primeiro engate na noite lisboeta.

Abraços

Afonso.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir